Terça, 28 Abril 2020 17:31

Como a estratégia de áudio pode ser um diferencial para marcas? Destaque

Escrito por Redação Mundo da Música
Avalie este item
(0 votos)
Como a estratégia de áudio pode ser um diferencial para marcas? Divulgação

Quando o assunto é áudio recorremos à nossa memória afetiva com: uma música preferida, uma informação importante, uma história que nos rendeu boas gargalhadas, um timbre que nos emocionou, uma voz que nos tocou, entre outros.

Mas, como a estratégia de áudio seria um diferencial para as marcas? E será que pensar em anúncios de áudio ou publicidade nesse período de incertezas, mediante à crise causada pela pandemia de COVID-19, é o ideal?

Para os consumidores, sim: eles querem ouvir de quais formas as marcas estão atuando diante de momento sensível no qual o discurso verdadeiro e ações, serão cada vez mais valiosas.

A pesquisa feita em abril de 2020 pela empresa Ipsos denominada "Comunicando na Pandemia" aponta que apenas 1% dos brasileiros acreditam que não deve ter publicidade nesse momento.

"As pessoas recorrem ao áudio para obter notícias e informações detalhadas sobre a COVID-19. Mas elas também ouvem para melhorar o humor e aliviar o estresse. O streaming de áudio é uma plataforma íntima que oferece uma fuga para os ouvintes e vastas oportunidades de contar histórias para as marcas", afirma o Spotify.

"A geração de streaming é esclarecida e cheia de opiniões quanto à cultura, marcas e como os dois se cruzam. Eles estão especialmente críticos agora, enquanto as marcas correm para marcar presença no momento atual.

Ser culturalmente relevante não significa apenas abordar o zeitgeist cultural. Trata-se de adaptar as mensagens a momentos pessoais e culturais que podemos identificar através de músicas e podcasts. E o que parece inteligente em um momento pode soar insensível logo em seguida, especialmente vindo de Marcas", diz a plataforma de streaming.

Entre práticas de áudio que o Mundo da Música destaca, há o projeto: O Fast Forward Podcast (FF Podcast) que nasceu do ponto de encontro entre mercado e o artístico.

O projeto que conta com a presença de Guta Braga, Fábio Silveira, Bruno Costa e U.Got, aborda com profissionalismo e profundidade, temas polêmicos sobre o que acontece nos bastidores do mercado da música.

Com a presença recorrente de convidados que fazem a indústria acontecer, diálogos sobre o futuro do mercado e insights sempre fazem parte das rodas de conversa. 

 

 

Com o intuito de acolher, apoiar e conectar pessoas, outra iniciativa de áudio lançada recentemente é a rádio online BeePop (www.radiobeepop.com). A iniciativa é da BETC São Paulo, que viu no projeto uma maneira de, diante à pandemia do novo coronavírus, levar o clima da agência para seus colaboradores e parceiros, e criar um ambiente de trabalho mais leve, dentro da casa das pessoas.

“Embora seja um projeto da BETC, é importante ressaltar que a rádio está aberta a todos os profissionais do mercado de comunicação. Criamos pensando nessa extensão. E, inclusive, há o desejo de manter a rádio ativa, mesmo quando tudo isso passar”, destaca Erh Ray, CEO da agência. Além de promover alegria, leveza e outros sentimentos relacionados à música pop, o uso do trocadilho “bee” (abelha, em inglês), no nome, revela o propósito de união e trabalho em equipe da iniciativa, bem como o de propagar ideias – assim como acontece na polinização, no universo das abelhas.

rádio BeePop busca transmitir conteúdos em cima de quatro pilares, essencialmente: Home Office is the New Black; Me Tira do Limbo Aí; Better Together; e Just Wanna Have Fun. São editorias que vão abordar, cada uma delas, temas como cotidiano saudável, foco para ajudar na rotina, união e aproximação, além de trazer momentos de repouso e diversão.

 

O áudio como diferencial para marcas

Analisando o contexto de força do áudio para as marcas, o Spotify criou uma série de dicas estratégicas para as empresas aproveitarem as oportunidades promovidas por meio da experiência de áudio.

"As pessoas recorrem ao áudio enquanto se distanciam socialmente para suprir necessidades muito específicas: manter-se informadas, permanecer com o pé no chão e, ocasionalmente, se manter entretidas. As Marcas podem desempenhar um papel no preenchimento dessas necessidades, deixando a venda mais pesada um pouco de lado e concentrando-se em fornecer algo útil.

Que tipo de informação você pode fornecer que eles já estejam procurando? O que sua Marca está fazendo agora, de maneira diferente, para ajudar as pessoas? Que tipo de conselhos práticos de bem-estar, hacks domésticos ou dicas para os pais sua Marca poderia fornecer? Agora os ouvintes podem não estar com disposição para encher seus carrinhos de compras. Eles estão com vontade de ouvir como as Marcas estão ajudando no momento", aponta o Spotify.

Confira uma série de dicas sobre o que as marcas podem fazer, abaixo:

 

O que as Marcas podem fazer: deixe o momento conduzir a mensagem

  • Use o contexto para encontrar o formato certo. A inteligência de streaming do Spotify pode identificar quando a tela está sendo vista ou quando o áudio é a estrela do show. Por exemplo, um anúncio com uma frase de call to action é ideal para quando a tela é exibida, enquanto se ouve no desktop, tablet ou smartphone. Para momentos sem tela, como cozinhar ou malhar, use o poder do áudio para contar uma história e criar uma impressão memorável para o ouvinte.

O que as Marcas podem fazer: verifique e verifique novamente o texto

  • Considere com cuidado referências explícitas à COVID-19 e se sua Marca está em posição de fazê-las. Repensar outras frases relacionadas usadas em excesso, como "nestes tempos de incerteza". O público já ouviu muito disso a essa altura.
  • Evite palavras ou frases que possam ter duplo significado, como "febre", "batidas doentias" e "viralização".
  • É melhor guardar temas amplos de Marca, como “união, escapismo e aventura”, para outras épocas.

O que as Marcas podem fazer: Seja útil e aberto

  • Concentre-se nas mensagens de construção de Marca que capturem emoções e nuances.
  • Se sua Marca tomou medidas para contribuir e ajudar durante essa crise, dê vida a essa história em áudio em vários formatos, como vídeo, áudio e display.
  • Seja transparente em suas comunicações e com as ações da sua empresa, mas lembre-se de não aumentar o fluxo de notícias com mais um comentário de Marca sobre a COVID-19.

O que as Marcas podem fazer: Experimente novos formatos

  • Agora é uma boa hora para voltar atrás e considerar formatos de anúncios de áudio não tradicionais, como playlists comentadas, áudio 3D que emula o som surround e ASMR de sons do ambiente que ajudam os ouvintes a relaxar.
  • Não tenha pressa. No Spotify, os ouvintes sabem que suas músicas continuarão após o intervalo do anúncio. A maioria deles está menos preocupada com a duração do anúncio e mais preocupada se é relevante ou não para eles. Certifique-se de que todas as palavras da narração sejam necessárias para contar a história.

Para conferir mais detalhes compartilhados pelo Spotify, clique aqui.

Última modificação em Terça, 28 Abril 2020 20:27

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.