Quinta, 30 Julho 2020 22:10

Spotify alcança 299 milhões de usuários ativos e 138 milhões de assinantes; saiba mais Destaque

Escrito por Redação Mundo da Música
Avalie este item
(0 votos)
Todas as regiões do mundo, incluindo América do Norte e Europa, “se recuperaram totalmente” - com exceção da América Latina, que é cerca de 6% abaixo dos níveis de pico anteriores à crise global da saúde, informou a empresa. Todas as regiões do mundo, incluindo América do Norte e Europa, “se recuperaram totalmente” - com exceção da América Latina, que é cerca de 6% abaixo dos níveis de pico anteriores à crise global da saúde, informou a empresa. Divulgação/Logo Spotify

O Spotify divulgou ontem (29) o relatório de desempenho da plataforma no Q2, segundo trimestre de 2020, alcançando 299 milhões de usuários mensais ativos (MAUs) e 138 milhões de assinantes.

"Nosso negócio teve um bom desempenho no segundo trimestre e continua a operar em alto nível, apesar da incerteza contínua em torno da pandemia do COVID-19. Excluindo o impacto das encargos relacionados ao aumento do preço de nossas ações durante o segundo trimestre, todas as nossas principais métricas teriam terminado de acordo com nossas expectativas. Nossa posição de liquidez e fluxo de caixa livre permanecem fortes e somos incentivados com as tendências subjacentes do negócio", diz o comunicado aos acionistas da empresa.

Os usuários ativos mensais cresceu 29%, em uma análise ano a ano, para 299 milhões, com um aumento sequencial de 13 milhões. O crescimento na América do Norte superou as expectativas do Spotify, acelerando mais de 200 bps neste trimestre em relação ao crescimento no segundo trimestre do ano passado.

De acordo com a plataforma, a retenção continua melhorando no segundo trimestre e que observa resultados na Améria do Norte maiores do que em 2019. A Índia também superou a previsão da companhia para este trimestre, graças ao forte desempenho das campanhas de marketing na região.

A América Latina e o resto do mundo continuam apresentando o crescimento mais rápido, com as regiões em crescimento 33% e 58%, em comparação com o ano anterior, respectivamente.

"No início do trimestre, observamos alguma lentidão relacionada à COVID em vários países em regiões emergentes. Partes da América Latina e do resto do mundo tiveram crescimento mais lento do que o esperado. Em abril e maio, como vimos menor consumo, aumento de rotatividade e aumentos nas falhas de pagamento dos nossos usuários Premium.

As coisas se recuperaram significativamente em junho, como vimos reativações aumentadas e um declínio na rotatividade. Enquanto terminamos abaixo da previsão emagregados nessas regiões, nossa força na América do Norte e em outras áreas mais do que compensou o início lento do trimestre. Além disso, acreditamos que o momento melhor que vimos na metade do trimestre continuou no terceiro trimestre e esperamos atingir nossas metas para o ano inteiro. Observamos no último trimestre que começamos a ver um impacto modesto nas tendências das horas de consumo impulsionadas por COVID", diz o comunicado.

O Spotify afirma que em 30 de junho, as horas de consumo global se recuperaram para os níveis anteriores ao COVID, com exceção da América Latina, que é de aproximadamente 6% abaixo dos níveis de pico anteriores à crise global da saúde. Regiões onde a disseminação do COVID-19 parece estar desacelerando, levaram à recuperação do consumo.

As tendências de consumo por plataforma também estão começando a normalizar; audição no carro no final do trimestre ficou menos de 10% abaixo dos níveis pré-COVID, tendo se recuperado de um declínio de 50% em abril.

O crescimento de usuários e assinantes do Spotify chegou ao topo das expectativas para o segundo trimestre de 2020, mas o resultado final da empresa foi atingido por um aumento de 48% nos custos operacionais dos encargos de compensação relacionados a ações. Além disso, a receita de anúncios caiu 21% - o que o Spotify atribuiu à pandemia de coronavírus - mas a queda não foi tão ruim quanto a previsão.

A empresa adicionou 8 milhões de assinantes Spotify Premium globalmente no segundo trimestre, um aumento de 27% ano a ano, para 138 milhões

O Spotify prevê um crescimento contínuo de usuários e assinantes até o final de 2020. Para o terceiro trimestre, o Spotify espera que o total de usuários ativos mensais seja de 312 a 317 milhões e o de assinantes Premium seja de 140 a 144 milhões. Para o quarto trimestre, a empresa está projetando MAUs totais de 328 a 348 milhões e total de assinantes Premium de 146 a 153 milhões.

A receita total do segundo trimestre de € 1,89 bilhões aumentou 13% ano a ano, em linha com as expectativas, enquanto o prejuízo líquido do Spotify aumentou para € 356 milhões (contra € 76 milhões no trimestre do ano anterior). A receita média por usuário entre subs premium de € 4,41 no segundo trimestre caiu 9% ano a ano (queda de 7% excluindo o impacto das taxas de câmbio).

O prejuízo ocorreu por causa dos “encargos sociais” acima do esperado, que foram 126 milhões de euros mais altos do que o previsto no segundo trimestre, devido a ganhos no preço das ações do Spotify durante o trimestre. O que o Spotify chama de “encargos sociais” são impostos sobre os salários associados à benefícios de funcionários, incluindo remuneração baseada em ações a que a empresa está sujeita em vários países.

A empresa afirmou que a publicidade de podcast "superou" no segundo trimestre, continuando até julho. Além disso, o Spotify anunciou uma parceria de publicidade de US$ 20 milhões com o Omnicom Media Group, que a empresa disse acreditar ser o maior acodoglobal de anúncios de podcast até hoje.

Cerca de 21% do total de usuários do Spotify ouvem podcasts, contra 19% no primeiro trimestre de 2020. O consumo de podcast continua a crescer a "taxas de três dígitos" ano após ano, disse a empresa, embora não divulgue métricas nessa frente. Atualmente, o catálogo de podcasts do Spotify inclui mais de 1,5 milhão de conteúdos, 50% dos quais lançados em 2020.

Confira os highlights do relatório abaixo:

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.