Terça, 07 Abril 2020 10:38

Gestão Coletiva da música no Brasil faz adiantamento de direitos autorais para compositores, artistas e músicos Destaque

Escrito por Redação Mundo da Música
Avalie este item
(0 votos)
Medida emergencial da Gestão Coletiva visa contemplar quase 22 mil profissionais da música impactados por cancelamento de shows e fechamento de estabelecimentos comerciais Medida emergencial da Gestão Coletiva visa contemplar quase 22 mil profissionais da música impactados por cancelamento de shows e fechamento de estabelecimentos comerciais Divulgação

A Gestão Coletiva da música no Brasil - composta pelas associações Abramus, Amar, Assim, Sbacem, Sicam, Socinpro, UBC e o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) - acaba de aprovar um plano emergencial para apoiar financeiramente compositores e demais artistas de todo país, duramente atingidos pela pandemia do coronavírus devido ao cancelamento de shows e eventos e fechamento de estabelecimentos comerciais sonorizados.

Neste primeiro momento, o plano consiste em um adiantamento extraordinário de valores que irá contemplar quase 22 mil compositores, músicos e intérpretes brasileiros com o montante de R$ 14 milhões em direitos autorais.

Serão beneficiados todos os titulares nacionais (pessoa física) filiados que tiveram um rendimento médio anual entre R$ 500,00 e R$ 36.000,00 nos últimos três anos (2017, 2018 e 2019), da seguinte forma:

 - Titulares com rendimento médio anual entre R$ 500,00 e R$ 12.000,00 nos últimos três anos receberão um adiantamento extraordinário no valor de R$ 600,00 dividido em 3 parcelas, sendo R$ 200,00 pagos na data prevista para a distribuição de abril e o restante nos pagamentos de maio e junho.

- Titulares com rendimento médio anual entre R$ 12.000,01 e R$ 36.000,00 nos últimos três anos receberão um adiantamento extraordinário no valor de R$ 900,00 dividido em 3 parcelas, sendo R$ 300,00 pagos na data prevista para a distribuição de abril e o restante nos pagamentos de maio e junho.

Este adiantamento extraordinário será devidamente discriminado no demonstrativo de rendimentos recebido por cada titular.

Os valores adiantados serão descontados posteriormente, 60 dias depois de anunciado o final do estado de calamidade pública, em até 12 parcelas mensais iguais e sem juros.

Compositores, intérpretes e músicos que queiram saber se serão contemplados com esta medida devem conferir sua média de rendimentos anuais e, em caso de dúvidas, procurar suas respectivas associações​.

"É por entendermos o momento crítico vivido pela classe artística e sermos solidários às dificuldades enfrentadas por todos que anunciamos esta primeira ação da gestão coletiva com o intuito de garantir um suporte financeiro para a sobrevivência de elos fundamentais da cadeia produtiva da música", diz o comunicado do Ecad. 

Recentemente, a Gestão Coletiva enviou uma Carta ao governo pedindo medidas em prol do setor cultural, saiba mais acessando aqui.

 

2 comentários

  • Link do comentário Jovi Joviniano Terça, 07 Abril 2020 20:28 postado por Jovi Joviniano

    Boa tarde. Todo o apoio que tiver para classe dos profissionais de música é fundamental.
    Eu sou percussionista e compositor, são as minhas únicas fontes de renda.
    Esse adiantamento do Ecad é muito justo.

  • Link do comentário Dilermando Ignacio Terça, 07 Abril 2020 16:42 postado por Dilermando Ignacio

    ola boa tarde, sou musico a 16 anos e tenho a carteira da ordem dos musicos do Brasil, e por causa dessa pandemia tenho dificuldade de acertar algumas pendencias na minha residencia, se puder me dar alguma ajuda de custo ficarei muito grato

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.