Sexta, 06 Setembro 2019 19:19

Receita de música nos EUA cresce 18% no primeiro semestre atingindo US$ 5,4 bilhões, aponta relatório da RIAA Destaque

Escrito por Redação MM
Avalie este item
(0 votos)
Recording Industry Association of America (RIAA) Recording Industry Association of America (RIAA) Logo/Divulgação

A Recording Industry Association of America (RIAA) divulgou ontem (6) o relatório sobre as receitas do primeiro semestre com base no mercado dos EUA.

As receitas aumentaram 18%, para US$ 5,4 bilhões, e o streaming representa 80% dessa receita, de acordo com a análise. 

Foto: Receita geral em comparação com 2017/18 | Crédito: RIAA

 

Os serviços de streaming pagos adicionaram mais de 1 milhão de novas assinaturas por mês, elevando o total dos EUA para mais de 60 milhões. As tendências continuam o crescimento de dois dígitos que o setor tem visto desde 2016. No valor de atacado, as receitas aumentaram 16%, para US$ 3,5 bilhões.

As receitas de streaming aumentaram de US$ 1,7 bilhão no primeiro semestre de 2016 para US$ 4,3 bilhões no mesmo período deste ano.

O maior fator nesse aumento foi o rápido crescimento de assinaturas pagas. As assinaturas pagas aumentaram de 9,1 milhões no primeiro semestre de 2016, para 20,5 milhões no ano seguinte, para 46,9 milhões no ano passado e 61,1 milhões no primeiro semestre de 2019.

Dos 20% restantes da receita da indústria da música, 9% foram para produtos físicos e downloads digitais e 2% para sincronização.

A música contribui com US$ 143 bilhões para o PIB dos Estados Unidos todos os anos, afirma o relatório. Dando suporte a mais de 157.000 negócios relacionados à música e quase 2 milhões de empregos.

"A manchete dos dados mais recentes da RIAA sobre o ecossistema musical é clara (e para quem já teve que separar adolescentes e fones de ouvido, sem grande surpresa) - a economia do streaming continua a acelerar, fortalecer e amadurecer", disse o presidente da RIAA e CEO Mitch Glazier.

“Em todos os lugares que você olha, o apoio de novas tecnologias, abordagens e plataformas da nossa indústria está valendo a pena para artistas, fãs e todos os que gostam de boa música.

"A música continua a ser um dos principais impulsionadores da cultura da Internet, e o engajamento em torno da música e dos artistas gera grande parte da popularidade de muitas plataformas de mídia social e tecnologia", continuou ele.

 

Foto: O avanço da receita do streaming | Crédito: RIAA

Foto: A queda da receita com download de músicas | Crédito: RIAA

 

“Nas mídias sociais, os músicos estão entre os usuários mais seguidos em todo o mundo. As gravadoras trabalham há anos para criar novas ferramentas, infraestrutura e equipes poderosas para ajudar os artistas a navegar no ecossistema global de streaming e proteger e promover seu trabalho.

Seja lutando para interromper a pirataria industrial e as operações de extração de streams ou enfrentando as plataformas Big Tech que evitaram a responsabilização por explorar artistas e pagam grosseiramente por música.

"E mais do que tudo, é um lembrete do que podemos realizar quando toda a comunidade musical - e nossos parceiros de serviços musicais - trabalham juntos.

Trabalho de colaboração e cooperação. Provamos que, ao estabelecer o direito de ser pago pelo streaming nos primeiros dias da Internet, à colaboração técnica e de dados que possibilitou os serviços modernos de música, a uma solução de problemas ainda mais recente, como o Music Modernization Act, que finalmente ganhou justiça para artistas que gravaram antes de 1972", conclui.

Confira o relatório completo clicando aqui.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.